Dessincronia.

Quando te chamo sempre espero que a resposta seja rápida.

 

Mas não há como acertarmos o compasso.

Tua música toca em um tempo diferente da minha.

Tua dança é rápida, a minha é lenta.

 

A resposta vem um longo tempo depois.

E, mesmo sem querer, eu fico feliz.

Até o desapego é diferente.

 

Mas, pelo menos, agora escrevo com inspiração todos os dias.

E tu, não.